Tam.Texto

Reforma política pode valer para as eleições de 2014


Add this to your website

 

Reforma política pode valer para as eleições de 2014
Constantemente sepultada por falta de acordo, a reforma política ganhará no Congresso uma microversão para entrar em vigor já nas eleições de 2014.
 
A proposta começou a ser elaborada há duas semanas por iniciativas dos líderes partidários, mas não trata de temas polêmicos como o financiamento público de campanha, que travaram a votação do projeto no mês passado, depois de dois anos de discussão numa Comissão Especial.
 
Nesta quinta-feira,23, as três mudanças de consenso foram a votação e estarão prontas para serem levadas ao plenário da Câmara e, se aprovadas, seguirão para análise do Senado.
 
O projeto vem sendo chamado de atualização da lei eleitoral e precisará ter a votação concluída até outubro, para cumprir a exigência de um ano entre a aprovação e a entrada em vigor de legislação.
 
A tramitação recorde atenderá uma necessidade dos partidos às vésperas das eleições e tem foco em dois pontos: a pré-campanha, que estará autorizada 12 meses antes dos eleitores irem às urnas, e a diminuição da burocracia para o uso de recursos das campanhas.

Constantemente sepultada por falta de acordo, a reforma política ganhará no Congresso uma microversão para entrar em vigor já nas eleições de 2014. A proposta começou a ser elaborada há duas semanas por iniciativas dos líderes partidários, mas não trata de temas polêmicos como o financiamento público de campanha, que travaram a votação do projeto no mês passado, depois de dois anos de discussão numa Comissão Especial.

Nesta quinta-feira,23, as três mudanças de consenso foram a votação e estarão prontas para serem levadas ao plenário da Câmara e, se aprovadas, seguirão para análise do Senado.

O projeto vem sendo chamado de atualização da lei eleitoral e precisará ter a votação concluída até outubro, para cumprir a exigência de um ano entre a aprovação e a entrada em vigor de legislação.

A tramitação recorde atenderá uma necessidade dos partidos às vésperas das eleições e tem foco em dois pontos: a pré-campanha, que estará autorizada 12 meses antes dos eleitores irem às urnas, e a diminuição da burocracia para o uso de recursos das campanhas.

Fonte: Portal Região News