Tam.Texto

Pesquisa revela interesse dos jovens brasileiros pela participação na política


Add this to your website

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Quais são os problemas que mais preocupam os jovens atualmente?", "O que os jovens valorizam no Brasil?" e "Como eles avaliam  a importância da política?" foram algumas perguntas feitas para jovens brasileiros, entre abril e maio de 2013, portanto antes das manifestações que aconteceram em junho no país.

 

Os resultados gerais da pesquisa Agenda Juventude Brasil 2013 foram apresentados em Brasília, no dia 8 de agosto. O evento foi coordenado pela Secretária Nacional de Juventude, Severine Carmen Macedo, e contou com a participação de Regina Novaes, pesquisadora do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Helena Abramo, coordenadora-geral de Políticas Setoriais da SNJ, Gustavo Venturi, coordenador da pesquisa, e Anna Luiza Salles Souto, coordenadora da área de Juventudes do Instituto Pólis e uma das consultoras dessa pesquisa. O lançamento dos resultados da pesquisa contou ainda com a presença do secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

O estudo sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros de 15 a 29 anos revela haver um interesse dos jovens pela política. Anna Luiza, que no evento comentou os dados referentes à percepção sobre a  política e à participação dos jovens, diz que um dado que chama a atenção é que 54% dos entrevistados consideram a política "muito importante". E outros 29% a consideram "mais ou menos importante". Apenas 16% consideram a política "nada importante".

Quando convidados a apontar duas formas de atuação que podem ajudar a mudar ou a melhorar as coisas no Brasil, 45% acreditam que a "participação em mobilizações de rua e outras ações diretas" seja uma delas. A esse dado, por si só revelador, se somam 44% de menções à “atuação em coletivos que se organizam em torno de uma causa” e 35% à “atuação em conselhos, conferências, audiências e outros canais de participação desse tipo”. Outros 34% incluem a atuação via “internet, opinando e cobrando políticos e governantes” e 30% referem-se à "atuação em partidos políticos" como forma de ação política potente para melhorar as coisas no país.

"Num quadro em que é visível o desgaste da imagem dos parlamentares e em que um dos gritos dos manifestantes em frente ao Congresso Nacional foi "vocês não nos representam", acho bastante positivo que 30% dos jovens reconheçam que os partidos políticos são importantes para a vida democrática. Na pesquisa, fica claro que quase 1/3 dos jovens fazem a distinção entre a figura dos políticos, cujas práticas são no mais das vezes condenáveis, e os partidos enquanto institucionalidade inerente ao sistema político democrático ", diz Anna Luiza.

Outro dado interessante, já mapeado em estudo anterior, refere-se à participação em associações, entidades e grupos: 46% dos jovens já participaram ou participam atualmente de algum dos coletivos listados pela pesquisa e 39% manifestaram "nunca ter participado de entidades ou grupos, mas gostaria de participar".

“Ou seja, ainda que mais da metade dos jovens entrevistados mencione nunca ter participado de organizações e associações, há um potencial latente de participação entre os jovens. Muita gente ficou surpresa com a presença dos jovens nas ruas, nas chamadas jornadas de junho, mas os dados da pesquisa falam por si. Nunca é demais lembrar a imagem negativa da juventude brasileira, veiculada sobretudo pela imprensa tradicional, que costuma classificá-la repetitivamente como consumista, individualista, apática, composta por pessoas 'nem aí com nada'. Talvez por isso tamanha surpresa", diz Anna Luiza.

Sobre a pesquisa

A Agenda Juventude Brasil 2013 é uma pesquisa de opinião de caráter nacional que busca levantar as questões da Juventude Brasileira de forma ampla e abrangente, de modo a possibilitar a análise e reflexão sobre perfil, demandas e formas de participação da juventude brasileira. Pretende subsidiar a elaboração de políticas públicas pensadas de forma integrada, a partir do universo juvenil.

De responsabilidade da Secretaria Nacional da Juventude (SNJ) da Secretaria Geral da Presidência da República, insere-se nas atividades do Participatório – Observatório Participativo da Juventude. Foi desenvolvida por um conjunto de consultoras, aplicada entre abril e maio de 2013 pela Gestão Venturi Associados, com a coordenação geral de Gustavo Venturi. A pesquisa contou com o apoio da Unesco Brasil.

Leia aqui um resumo da pesquisa: http://participatorio.juventude.gov.br/file/download/26191

Fonte: Instituto Polis